Publicado em 27.03.2018 - Festas e comemorações - Sem comentários
  • IOM HAZICARON e IOM HAATZMAUTIOM HAZICARON – DIA DA RECORDAÇÃO AOS SOLDADOS TOMBADOS
  • IOM HAATZMAUT – DIA DA INDEPENDÊNCIA DE ISRAEL

O Iom Haatzmaut celebra a criação do Estado de Israel pela Organização das Nações Unidas (ONU) e que agora (em 2018) está celebrando o seu 70º aniversário de independência, após uma espera de 2000 anos.

É comemorado no 5º dia do mês judaico de Yiar.

Esta é uma celebração nova. Muitos cidadãos israelenses participaram ativa e pessoalmente dos acontecimentos que resultaram na criação do novo Estado e testemunharam as enormes mudanças ocorridas no país desde 1948. Por esse motivo, a sua comemoração é realizada com muito sentimento.

Nestes 70 anos de existência, Israel tornou-se um país livre e democrático. Nele convivem judeus ortodoxos e laicos ali nascidos e cujas famílias vivem há gerações, judeus vindos de todos os cantos do mundo, de culturas diferentes, além de outras minorias, que professam sua fé com liberdade.

O país destaca-se pelo seu desenvolvimento tecnológico e científico, pela literatura e pelas artes em geral, apesar dos problemas que enfrenta. É o único país do Oriente Médio que já recebeu nove Prêmios Nobel em áreas diferentes.

O dia que antecede o Iom Haatzmaut é o Iom Hazicaron (dia da Lembrança), quando nos lembramos dos soldados que morreram lutando para defender o país.

O país se cobre de azul e branco. Após o cair da noite, na véspera do Iom Haatzmaut, as prefeituras costumam promover celebrações públicas, com música popular. A população, sobretudo crianças e jovens, vai ao centro da cidade para participar das festividades.

No dia do Iom Haatzmaut, multidões saem a passear pelo país, visitando os locais onde ocorreram as batalhas da Guerra da Independência e os monumentos em memória aos soldados caídos. Em geral, passam o dia ao ar livre, em piqueniques e churrascos.

Neste dia, realizam-se exibições da Força Aérea e da Marinha. Realiza-se também, a cerimônia de entrega do Prêmio Israel aos laureados nos campos literário, artístico e científico, assim como se realiza o Certame Bíblico Internacional da Juventude Judaica.

 

SÍMBOLOS DE ISRAEL

bandeira_israelA BANDEIRA DE ISRAEL foi adotada em 28 de outubro de 1948. Formada por duas listras horizontais azuis sobre um fundo branco, tendo no centro um MAGUEN DAVID também azul.

Foi desenhada em 1891, e inspirada no Talit.

brasãoO BRASÃO DE ARMAS DE ISRAEL mostra uma menorá rodeada por um ramo de oliveira em cada lado, e a inscrição Israel (em hebraico) abaixo dele. O Estado de Israel adotou seu brasão de armas após um concurso de desenho que aconteceu em 1948. A menorá tem sido um símbolo do Judaísmo por quase 3000 anos. Foi usada no antigo

Templo de Jerusalém. Os ramos de oliveira simbolizam a paz.

hinoO HINO NACIONAL DE ISRAEL nos fala da esperança de 2000 anos, até sermos novamente um povo livre na nossa terra de Israel. Nasceu de um poema de Naftali Herz Imber, poeta polonês, escrito em homenagem a fundação da colônia Sionista “Petach Tikva” (A porta da esperança). A canção foi oficializada como Hino Nacional de Israel em 14 de maio de 1948, quando foi cantada durante a cerimônia de assinatura da declaração de independência do Estado de Israel, já com a letra atual.

 

 

Conceitos importantes

deguel Israel: bandeira de Israel                   Mapá (t/shel) Israel: mapa de Israel

Hatikva: “A Esperança” (hino)                       semel hamediná: símbolo do país

menorá veanfei zait: menorá                        Iom Haatzmaut: “Dia da Independência”

e galhos de oliveira

ivrit: hebraico                                                shalom: paz

kachol velavan: azul e branco                        shekel, shkalim: nome da moeda

Maguen David: Estrela de David                   Tel Aviv, Kineret, Ierushalaim,

                                                           Iam Hamelach, Haifa, Eilat, Hermon:

(Locais em Israel)

Medinat Israel, Eretz Israel: Estado de Israel, Terra de Israel

 

CULINÁRIA:                                                                                      

FALAFEL

Ingredientes

250 g de grão-de-bico sem pele (que ficou de molho em água por 24 horas e depois escorrido)

1 batata (+/-250 g) crua, ralada em ralo grosso e espremida (para retirar o líquido) ou um pãozinho amanhecido, umedecido e espremido.

1 cebola bem picadinha

2 dentes de alho bem amassados

1 colher (chá) de cominho em pó

1/2 xícara (chá) de coentro picado

Sal e pimenta-do-reino branca moída a gosto

1 colher (chá) de bicarbonato de sódio ou fermento químico

Óleo o suficiente para fritar

Modo de fazer

Num processador coloque grão-de-bico (que ficou de molho em água por 24 horas e depois escorrido) e processe até virar uma massa.

Transfira para uma vasilha e junte batata crua (ou o pão), cebola bem picadinha, alhos bem amassados, cominho em pó, coentro picado, sal e pimenta-do-reino branca moída a gosto e bicarbonato de sódio (ou fermento). Misture muito bem.

Em seguida, com o auxílio das mãos, faça pequenos bolinhos e frite-os em óleo não muito quente (150ºC a 160ºC) para cozinhar por dentro e dourar por fora.

Sirva com pão sírio, molho de tahine e folhas de alface.

MOLHO DE TAHINE:                                     

Ingredientes:

– 1/2 xícara (chá) de tahine

– 2 dentes de alho amassados

– Suco de 2 limões

– 1/2 xícara (chá) de água gelada

– Sal a gosto

 

Modo de Preparo:

Numa tigela misture tahine, alho amassado, suco de limão, água gelada e sal a gosto.